Tradutor / Translate

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Orquestra cubana Buena Vista Social Club volta a se apresentar no Norte da Ilha de Santa Catarina


Apresentação será no dia 13 de dezembro, no P12, em Jurerê Internacional. Os ingressos para o show começaram a ser vendidos na sexta-feira, 28 de agosto. O evento marcará o lançamento do Jurerê Jazz Summer Session, novo produto do Jurerê Jazz, focado na temporada de verão, que trará grandes atrações até o final de fevereiro para Jurerê Internacional.

A fase de pré-venda para o show da orquestra vai até o dia 30 de agosto e estará disponível apenas para os membros do Clube Jurerê Jazz. O cadastro no Clube pode ser feito gratuitamente pelo site www.jurerejazz.com. O inscrito receberá um link onde poderá efetuar a compra com antecedência pelo site Eccopass (www.eccopass.com). O cadastramento para o show deve ser feito até às 15h. Os ingressos custam a partir de R$ 100 (primeiro lote) e haverá camarotes (para 10 pessoas).

No dia 31 de agosto será aberta a venda para o público em geral no mesmo site. A organização aconselha os fãs a garantirem seus ingressos o quanto antes, pois no show promovido em maio eles se esgotaram em apenas 10 dias.

Este segundo show será realizado a pedido do público, que solicitou que o evento ocorresse novamente. “Devido ao enorme sucesso e a grande quantidade de pessoas que não conseguiram comprar ingressos para o show, o Jurerê Jazz se empenhou em trazê-los de volta e em dezembro o público terá novamente a oportunidade de assistir ao Buena Vista”, ressalta Abel Silva, organizador do Jurerê Jazz.

Para garantir o acesso de um número maior de pessoas e ingressos mais acessíveis, desta vez o espetáculo vai ocorrer num local maior, o parador de praia P12, em Jurerê Internacional. A apresentação anterior ocorreu no CIC, com capacidade para apenas 906 espectadores.
     

Turnê “ADIOUS TOUR”


Em dezembro o Buena Vista Social Club repetirá em Florianópolis o show da turnê de despedida Adios Tour, que foi realizado em maio na Capital e fez um grande sucesso.  A turnê representa a síntese de mais de 1.000 shows durante os últimos 16 anos, envolvendo mais de 40 músicos. Durante esse tempo, o grupo se converteu em uma big band customizada, dinâmica, onde músicos veteranos e mais jovens se combinam para celebrar com grande elegância a tradicional música cubana.

Sob a direção musical de Jesus “Aguaje” Ramos (líder da banda e trombonista), a formação do grupo conta com vários músicos que participaram no disco e filme Buena Vista Social Club, incluindo Omara Portuondo (voz), o maestro Guajiro Mirabal (trompete) e o virtuoso Barbarito Torres (alaúde).

No palco estarão também alguns dos músicos que ao longo dos anos uniram-se ao projeto do Buena Vista Social Club®, como o veterano maestro Papi Oviedo, o prodígio pianista Rolando Luna, uma excelente seleção rítmica composta por Pedro Pablo (contrabaixo), Andrés Coayo (congas), Filiberto Sánchez (timbals) e Alberto 'La Noche' (bongos), um conjunto de trompetas de três músicos liderado pelo especialista em notas altas Luis Allemany, além dos celebrados Carlos Calunga e Idania Valdéz.

A orquestra é a evolução natural do grupo original que lançou o famoso recorde de vendas Buena Vista Social Club®, que ganhou um GRAMMY. Sua formação continua incluindo vários dos artistas originais que participaram da histórica gravação do filme. Ao longo dos anos, lançaram muitos discos de grande sucesso e conquistaram outros Grammys.

Serviço

O que: Show com a Orquestra Buena Vista Social Club: “ADIOUS TOUR”
Quando: 13 de dezembro
Horário: 20h (a casa abre às 16h)
Onde: P12 em Jurerê Internacional – Florianópolis
Ingressos: Primeiro Lote a partir de R$ 100. (A meia entrada estará disponível apenas no P12)

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Santa Catarina registra menor taxa de desemprego do país no segundo trimestre

Foto: Pablo Gomes
Santa Catarina registrou, pela segunda vez consecutiva neste ano, a menor taxa de desemprego no trimestre entre os estados do Brasil, com 3,9%. O número é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, divulgada nesta terça-feira, 25. A média nacional de desocupados foi de 8,3%, o que equivale a 8,35 milhões de pessoas sem emprego. A pesquisa contempla 3.464 municípios e considera todas as formas de inserção no mercado – inclusive empregos informais e no serviço público. 

O Estado já havia registrado a menor taxa de desemprego no primeiro trimestre, também com 3,9% contra 7,9% da média nacional. Em 2014, Santa Catarina teve o maior saldo de vagas de emprego do país, com 53.887 novos empregos gerados, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego.



Cenário nacional 


De acordo com o IBGE, o rendimento real habitual dos trabalhadores foi de R$ 1.882 no segundo trimestre deste ano, queda de 0,5% na comparação ao primeiro trimestre deste ano. Frente ao mesmo período do ano passado houve alta, de 1,4%. Em Santa Catarina, o rendimento médio mensal foi de R$2.032,00.


Com relação às taxas de desemprego, o maior índice foi registrado na Bahia, com 12,7%. Em outros três estados o percentual chega a dois dígitos: Alagoas (11,7%), Rio Grande do Norte (11,6%) e Amapá (10,1%). Quando consideradas as regiões, houve aumento na taxa de desemprego em todas na comparação entre os dois primeiros trimestres do ano:  Norte (de 7,2% para 8,5%), Nordeste (de 8,8% para 10,3%), Sudeste (de 6,9% para 8,3%), Sul (de 4,1% para 5,5%) e Centro-Oeste (de 5,6% para 7,4%).

Fonte: Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

As fortalezas de Florianópolis - de sistemas de defesa a atrações turísticas

A história do Brasil colonial está presente nas fortalezas de Florianópolis. Construídas para proteger o território das invasões espanholas no século XVIII, atualmente fazem parte do rico e belo Patrimônio Histórico Nacional.

A fortaleza de Santa Cruz, na Ilha de Anhatomirim, foi a primeira a ser construída. O Forte de São José da Ponta Grossa, localizado na Praia do Forte, entre Jurerê e Daniela, e o de Santo Antônio de Ratones começaram a ser construídos um ano depois e formaram, com o de Santa Cruz, o triângulo defensivo da Baía Norte da Ilha de Santa Catarina. A Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição, na Ilha de Araçatuba, na Baía Sul, foi a quarta a ser construída e completava o que Silva Paes, primeiro governador da Capitania de Santa Catarina, julgava ser um sistema de defesa adequado para a Vila do Desterro.

Posteriormente, foram construídos os fortes de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, de Santa Bárbara da Vila, São João, Lagoa, São Francisco Xavier e São Luiz (estes quatro últimos já desaparecidos), além da Bateria de São Caetano da Ponta Grossa e do Forte Marechal Moura de Naufragados.

Por muitos anos, o conjunto permaneceu abandonado e em ruínas. Além das fortalezas da Baía Norte, os fortes de Santana e Santa Bárbara estão restaurados e abertos à visitação. Araçatuba, Naufragados e São Caetano permanecem em ruínas.

Atualmente, as fortalezas são gerenciadas pela Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc) e são os principais pontos de atração turístico-cultural da região, sendo visitadas anualmente por mais de 200 mil pessoas.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Sapiens Parque abrigará Parque Científico-Tecnológico da UFSC

Foto: Jair Quint/Agecom/DG/UFSC
A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Sapiens Parque assinaram nesta quinta-feira (13) um termo de cooperação para a implantação do Parque Científico-Tecnológico da UFSC no maior pólo de inovação do Estado. O acordo mantém uma área de 250 mil metros quadrados de potencial construtivo para a UFSC e inclui um plano de ação que prevê a ocupação de 30% do espaço pela Universidade até 2021. "Poderemos nos aproximar das demandas e necessidades das empresas, ao mesmo tempo em que teremos a oportunidade de utilizar esse espaço para inovação”, afirmou a reitora Roselane Neckel.


O próximo passo será definir as regras pelas quais os empreendimentos poderão atuar no local. Segundo Jamil Assreuy Filho, pró-reitor de Pesquisa, a gestão científica dos laboratórios será exclusiva da UFSC e as instalações de novos ambientes de pesquisa serão feitas de forma coordenada. “O maior ganho desse acordo é que a UFSC terá o seu parque. Com isso, estamos prontos para ter a nossa incubadora tecnológica e a Agência de Inovação da Universidade. Abre-se uma oportunidade muito preciosa para os alunos de graduação e pós-graduação”, declarou o pró-reitor.

Para José Eduardo Fiates, diretor-executivo do Sapiens Parque, trata-se de um momento histórico para o empreendimento. “A tendência, agora, é ampliar o número de projetos de centros de pesquisa e institutos de tecnologia nesse conceito do Parque Científico e Tecnológico da UFSC dentro do Sapiens Parque”, explicou.

O evento também contou com a presença do prefeito Cesar Souza Junior, que reafirmou a importância da junção dessas duas grandes forças da cidade. “A presença da UFSC no Sapiens Parque fortalece ainda mais o objetivo de termos Florianópolis cada vez mais como uma cidade digital e focada na economia criativa”. O mesmo sentimento foi compartilhado por Saulo Vieira, diretor-presidente do Sapiens. “Quem ganha é a cidade, o estado de Santa Catarina e toda a comunidade acadêmica, porque o acordo materializado é uma janela imensa para a inovação, a tecnologia e o desenvolvimento sustentável”, comemorou.

Fonte: PalavraCom

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Veja como organizar e decorar o espaço para o churrasco

Para organizar e decorar com elegância um churrasco é preciso um bom planejamento prévio. Segundo a organizadora de eventos Márcia Campos, o principal é o que chamamos de A&B (alimentação e bebidas). “A escolha das carnes, o corte e o serviço precisam ser muito bem pensados para que tudo tenha uma harmonia adequada”, aconselha.
Depois desta etapa, é importante pensar na infraestrutura. A churrasqueira, os acessórios e a equipe precisam estar alinhados para que o seu evento seja um sucesso.
“O tipo de recepção em si já é despojado e é bacana que a decoração acompanhe o tom de informalidade. O horário também ajuda a definir o estilo do evento. A hora do almoço com certeza é mais apropriada”, diz Márcia.

Se o churrasco for na sua casa ou na casa de veraneio, o layout da decoração precisa acompanhar o número de CONVIDADOS para que o ambiente fique aconchegante.

Seguem algumas sugestões:
1- Comece os preparativos com o convite. O modelo do convite auxilia na indicação do formato do evento e deixa os seus convidados mais à vontade. Por e-mail ou convite tradicional, abuse da criatividade!

2 – Escolha um local onde haja escoamento adequado da fumaça produzida para não incomodar os convidados.

3 – Analise a melhor forma de montar o serviço para que você possa dar atenção aos seus convidados. A contratação de uma empresa especializada ajuda muito nestas horas, até porque o serviço precisa ser ágil, pois a carne não pode ser servida fria.


4 – O mobiliário pode ganhar uma distribuição diferente, montado de forma despojada. Neste caso, não é necessário montar mesa formal para que todos fiquem sentados. Se o ambiente for ao ar livre, abuse dos lounges com sofás e poltronas espalhadas.
5 – Os utensílios podem ser os próprios da sua casa ou mesmo alugados. Abuse das cores e alinhe todos os itens com a decoração. Defina um local para todos os utensílios. Faça uma decoração nesta mesa com um lindo arranjo de flor e distribua os pratos, talheres, guardanapos de forma elegante. Use fitas, tecidos e outros itens para embelezar o ambiente.

6 – Mesmo que tenha garçom para servir as bebidas, deixe copos e um balde com garrafas no gelo. Monte como se fosse um bar para as demais bebidas. A caipirinha tem uma boa saída nestes encontros.

7 – Monte uma mesa de saladas com outros acompanhamentos numa área central onde as pessoas possam se servir diretamente. O arroz, a farofa, o pão e demais itens tradicionais não podem faltar.


8 – Por fim, sirva uma sobremesa refrescante com frutas, sorvete e outras delícias.

Fonte: Revista Zap
http://revista.zapimoveis.com.br/veja-como-organizar-e-decorar-o-espaco-para-o-churrasco/churrasco/

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Na contramão da crise, Santa Catarina é exemplo a outros estados

Na contramão do cenário de recessão no país, Santa Catarina, ao lado da Bahia, projeta crescimento econômico em 2015. A perspectiva é aumentar o Produto Interno Bruto (PIB) em 1,5%, diante de estimativa de 0,6% do Estado nordestino, conforme dados das secretarias da Fazenda. Das 10 principais economias brasileiras, as duas unidades federativas também têm e melhor relação entre endividamento e receita.
A projeção de crescimento em SC se mantém, principalmente, pelo aquecimento na economia previsto pelos investimentos do Pacto por SC, conforme a avaliação do secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni. Mesmo com a arrecadação fraca e prejudicada pelo cenário do país, o Estado tem conseguido manter ajustado o quadro receita x despesa.
O Estado prevê investimento de R$ 3 bilhões em obras públicas em 2015. Aí estão incluídas ações em áreas como saúde, educação, rodovias, segurança e portos. Hoje, 68% dos recursos do Pacto por SC estão em execução — o pacote total prevê recursos de R$ 10 bilhões. A meta é fechar o ano com 90% do programa em execução.
Gavazzoni avalia que as economias dos três Estados do Sul são semelhantes (fundamentadas no agronegócio, mas com certa diversificação) e que a principal diferença é o cenário de disciplina fiscal. Ou seja: em SC, as despesas cabem dentro da receita. Conforme o secretário, o fato de os governos gaúcho e paranaense estarem "lutando para combater o desequilíbrio fiscal" ajuda SC.
— Nesse cenário, no Sul do Brasil, acabamos levando uma certa vantagem. No passado, foi o inverso. Santa Catarina hoje é um destino de investimento muito seguro. Aqui, não se fala em aumento de tributos, não se descumprem obrigações, então, isso gera certa segurança jurídica — afirma.
Dever de casa cumprido
A conquista da Bahia e de SC é atribuída ao caminho de redução do endividamento na última década. Em 2005, o passivo da Bahia correspondia a 117% da arrecadação, percentual que caiu para 40% no ano passado. Em Santa Catarina, essa redução foi de 119% para 45%. A média nacional, passou de 153% em 2005 para 107% no ano passado, conforme a Secretaria do Tesouro Nacional.
Para José Carlos de Oliveira, professor de Economia da Universidade de Brasília, Bahia e SC "fizeram o dever de casa" após a primeira renegociação de dívidas com o governo federal, no final da década de 90. Os dois governos, lembra Oliveira, privatizaram seus bancos, o Baneb e o Besc.
O especialista afirma que fatores econômicos também ajudaram os dois Estados a atrair atividades e indústrias para seus territórios os últimos anos.
Principal desafio é a previdência
Vista como o calcanhar de aquiles, a previdência é o assunto a ser resolvido em SC. O déficit anual do governo é de R$ 3,5 bilhões nesse segmento. Para mudar essa realidade, o governo estuda a criação de um regime complementar.
Em março deste ano, Gavazzoni apresentou duas possibilidades de reforma no sistema previdenciário do Estado que estão em estudo junto ao Iprev. A ideia é chegar a uma fórmula conjunta e depois abrir negociação com os sindicatos.
Essas e outras propostas seguem em discussão e devem ser concluídas ainda em 2015, mas ao final, conforme explica Gavazzoni, a decisão de encaminhá-las ou não dependerá muito mais da questão política.
Governador quer reformulação
O governador Raimundo Colombo, em entrevistas, já manifestou publicamente a insatisfação com o atual modelo e a alta despesa gerada.
No ano passado, o valor alcançado pelas contribuições dos ativos e inativos da previdência somaram R$ 1,6 bilhão para uma conta final de R$ 4,2 bilhões.

Os R$ 3,5 bilhões que faltaram saíram direto do caixa do governo estadual (R$ 900 milhões referem-se à contrapartida patronal). Na ponta do lápis, o valor é equivalente a tudo o que foi gasto em 2014 com a saúde.
Publicado originalmente Diário Catarinense em 10/08/2015