Tradutor / Translate

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Veja dicas e cuidados para saúde e segurança no mar, na piscina e no rio

Foto: Charles Guerra / Agência RBS
A estação é perfeita para relaxar e se divertir, mas é importante não se descuidar da saúde, da segurança e, principalmente, da diversão, já que as brincadeiras na água – que são deliciosas – podem se tornar perigosas. Confira a seguir algumas dicas para tornar o seu veraneio mais seguro.

SEGURANÇA

Mesmo em clima de férias e diversão, é importante não se descuidar ao chegar e sair dos locais de lazer

CARRO

Ao sair do carro, tranque as portas e ligue o alarme. Ladrões aproveitam esses momentos de distração e são rápidos: em 30 segundos levam o automóvel.

OBJETOS DE VALOR

Não deixe objetos de valor dentro do carro, seja à vista de quem passa ou mesmo no porta-malas. A polícia faz um alerta especial aos turistas que circulam com o veículo lotado de malas, câmeras e outros objetos eletrônicos. A dica é parar no hotel e guardar a bagagem.

ESTACIONAMENTO
  • Estacione em locais e ruas movimentados
  • Evite os flanelinhas
  • Em hipótese alguma entregue a chave para um guardador de carro. A alternativa só é válida em estacionamentos credenciados
  • Não esconda a chave próxima ao veículo: na roda, no para-choque ou na placa. Alguém pode estar observando a distância e se aproveitar de um momento de distração para roubar o carro

SAÚDE

Curtir o verão inclui, também, cuidar da alimentação e não abusar do sol nos passeios ao ar livre

SOL

Não se cuidou no sol e agora está todo vermelho e queimado?

Depois de queimar, é preciso hidratar bem a pele e tomar bastante líquido. Quem tiver dor na queimadura precisa procurar um médico e até tomar remédio. A explicação é da dermatologista Fabiane Mulinari Brenner. Soluções caseiras também não são bem-vindas.

O médico José Luiz Takaki lembra que hidratantes e pós-sol resolvem temporariamente o problema, mas dependendo das substâncias usadas, o diagnóstico pode até ser dificultado. Uma toalha molhada em cima da queimadura alivia a ardência.

NUTRIÇÃO

Nesses dias de calor, priorize a alimentação leve, rica em vegetais e fibras. Evite a carne vermelha, leite de vaca e derivados e açúcares. Beba de seis a oito copos de água por dia e aposte nos sucos naturais e na água de coco. Cuide com a higiene, armazenagem e preparo dos alimentos.

LAZER

A estação é perfeita para aproveitar as águas, mas é necessário prudência para que a diversão não se torne um caso de afogamento

RIOS E LAGOAS
  • Evite brincadeiras como simulações de afogamentos ou forçar a cabeça de um amigo para dentro da água
  • Oriente as crianças sobre os perigos e não as deixe entrar na água sozinhas
  • Antes de se banhar, informe-se sobre a correnteza e a profundidade do local
  • Mesmo sabendo nadar, evite tomar banho em canal
  • Nade apenas onde dá pé
  • Siga as placas de orientação sobre os perigos dos balneários
  • Evite banhos em períodos de enchente ou em zonas de correnteza
  • Para não ficar preso em obstáculos do rio, use roupas leves
  • Fique atento à profundidade e à correnteza, a pedras e galhos
  • Não se afaste da margem se não souber nadar e evite atravessar de uma margem à outra

AO SOCORRER ALGUÉM QUE ESTÁ SE AFOGANDO

Tome cuidado ao se aproximar de alguém que está se afogando. A pessoa está em pânico e se agarra à primeira coisa concreta que aparecer. Por isso, muitos casos de afogamento acontecem em sequência: uma pessoa tenta ajudar a outra e ambas acabam se afogando. Quando houver salva-vidas, chame-o imediatamente. Deixe ele se encarregar do caso, já que foi treinado

Se não houver salva-vidas, jogue para a pessoa que está se afogando qualquer tipo de material flutuante. Pode ser uma prancha ou uma boia, mas vale também pedaços de isopor (como tampas ou caixas), bolas ou mesmo garrafas plásticas de refrigerante. Esses objetos ajudam a pessoa a se manter acima da superfície da água até ser resgatada

Se a pessoa estiver próxima, lance uma corda ou estique um galho, segurando uma das extremidades. Quando ela agarrar a outra, puxe-a para fora

Os primeiros socorros para reanimar o afogado são a massagem cardíaca e a respiração boca a boca
MAR

Observe as bandeiras ou consulte os salva-vidas sobre as condições do mar. Cores identificam a situação nas águas:

  • Bandeira vermelha – Mar impróprio para banho
  • Bandeira amarela – Banho com restrições, muitos buracos e repuxo
  • Bandeira verde – Sem riscos, mas com cuidado
Tome banho perto das guaritas dos salva-vidas e se informe do horário que em eles estão nas guaritas
Não adentre mais de 50 metros no mar (água na altura do peito)
O ideal é que a água fique pela cintura
Entre em dupla no mar
Não nade contra a correnteza caso arrastado. Para escapar, mova-se lateralmente
Respeite as condições do mar. Não entre com bandeira vermelha, mantenha cuidado quando a bandeira estiver amarela e tome banho com restrições quando a bandeira estiver verde.
Não mergulhe em locais de grande profundidade sem equipamento adequado

SAIBA COMO SE SALVAR
 Deixe a corrente levá-lo e depois tente nadar em paralelo à costa. Use as ondas para empurrá-lo de volta à praia

REGRAS PARA UM BANHO SEGURO

Sempre que possível, prefira locais assistidos por salva-vidas
Respeite as bandeiras de sinalização
Não confie demais em suas habilidades e nem em seus limites no mar
Procure não ultrapassar profundidades superiores à cintura
Evite tomar banho em locais com correntes, obstáculos e nas proximidades de desembocaduras de rios
Nunca perca as crianças de vista e indique onde elas devem tomar banho

CUIDE DAS CRIANÇAS

Coloque boias naquelas que não sabem nadar
Tome cuidado com fossas abertas, que oferecem riscos de acidentes
Não deixe banheira, tanque ou tonel cheios de água ao alcance de crianças

PISCINA

Quando a piscina estiver fora de uso, cubra-a com uma tela ou uma lona. Isso evita acidentes com crianças
Objetos como boias e brinquedos não devem ser deixados dentro ou na beira da piscina, pois chamam a atenção das crianças e podem ser armadilhas fatais
No caso de crianças, use sempre flutuadores
Evite correr e pular em volta da piscina, pois geralmente a borda da piscina fica molhada e escorregadia
A piscina deve ser limpa com frequência para evitar bactérias e insetos que possam transmitir doenças
Se a piscina for em clube, faça o exame periódico exigido. Se for em casa, evite entrar na água se você apresentar algum dos sintomas que impeçam o acesso

A PISCINA IDEAL PARA CRIANÇAS

As piscinas também devem ser cercadas por grades de pelo menos 60 centímetros
É indispensável a presença de um adulto quando crianças estiverem na piscina
Se a piscina não estiver em uso, colocar lonas de proteção firmes, que suportem o peso de uma criança
Para ir para a piscina, a criança deve ter coletes, que a impeçam de engolir água
O uso dos coletes pode dar uma falsa sensação de proteção às crianças. Por isso, elas devem ser orientadas para tomarem banho sempre acompanhadas de um adulto.

Publicado originalmente no Diário Catarinense em 25/12/2013

sábado, 16 de janeiro de 2016

Trilhas em Florianópolis

A Ilha de Santa Catarina foi generosa com os aventureiros. Há diversos caminhos para se percorrer a pé ou de bicicleta e chegar às localidades menos exploradas de Florianópolis.

Algumas possuem baixo nível de dificuldade e qualquer pessoa pode percorrer. Outras, já demandam um bom preparo físico e um guia experiente, pois passam por trechos de escaladas, por áreas alagadas ou são habitats de animais peçonhentos e perigosos.

Para saber mais sobre cada trilha e se preparar antes da aventura, informação nunca é de mais. Portanto, conte com as dicas que o Guia Floripa preparou para as principais trilhas da ilha.

Se você é iniciante, veja o que é necessário para garantir o sucesso da caminhada.

O que vestir


Roupas leves, de preferência fibras naturais, como o algodão, que evitam a transpiração excessiva. Nos pés, um calçado confortável. Botas de caminhada são sempre a melhor opção.

Em trilhas mais fáceis, roupas de cores claras são ideais, pois não absorvem tanto calor. Nas mais complicadas, no meio do mato fechado, é melhor usar cores fortes, que facilitam a identificação em caso de se perder.

O que levar


Leve uma boa mochila, resistente e que se adapte a seu corpo, para não prejudicar a postura.

Cantil para água. Se não tiver, leve garrafa plástica (pode amassar para não tomar muito espaço), mas não se esqueça de trazer de volta. Sempre se informe se há ou não fontes de água na trilha.

Leve lanterna sempre.

Kit de primeiros socorros (as drogarias vendem kits prontos).

Alimentação


No dia anterior a uma trilha, é importante comer carboidratos – pão, macarrão, raízes e tubérculos.

Leve alimentos não-perecíveis, como granola, frutas desidratadas e sanduíches leves e bem embalados. Não carregue alimentos que não suportam muito calor ou umidade.

Não cometa o erro de levar mais comida do que o necessário (trilheiros de primeira viagem costumam comer mais na trilha do que em um restaurante).

Para recompor a energia durante a caminhada, o ideal são barras de cereais ou banana seca. Banana e laranja, ricas em potássio, são as frutas mais indicadas para os trilheiros. Entre as vantagens, ajudam a evitar cãibras.

Para beber, água ou isotônicos. Leve comprimidos para descontaminar águas não-confiáveis no meio do caminho, à venda em drogarias, ou hipoclorito de sódio, na proporção indicada na embalagem.

E mais


É bom ter cuidado com animais peçonhentos (cobras, aranhas, escorpiões), que, ao contrário da lenda, não têm esta ou aquela época para aparecer.

Use botas, já que quase 90% dos casos de picadas atingem o tornozelo. Olhe onde pisa e ande fazendo barulho, isso afasta os animais. Dê uma olhada no link de primeiros socorros para saber como agir em caso de acidente.

Quando estiver em dúvida quanto ao caminho, escolha o que tiver mais marcado. Evite trilhas secundárias.

Não deixe nada pelo caminho. Se você conseguiu levar a mochila cheia, pode muito bem trazer seu lixo de volta.