Tradutor / Translate

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Entenda sobre o financiamento da casa própria


 Está no momento de comprar seu imóvel e busca entender mais sobre o assunto? Conheça alguns detalhes sobre o financiamento e suas condições:

O sonho da casa própria: esse é o desejo da maioria dos brasileiros, que querem constituir esse bem e ser independente. Para quem está sonhando com isso, é preciso estudar com muito cuidado, especialmente no que se refere ao financiamento do imóvel.

Documentos, condições e juros: são diversas opções existentes no mercado, necessário ser adotado com muito cuidado e cautela. Afinal, é um investimento de muitos anos e precisa ser pensado, para que no final essa grande conquista, não vire um pesadelo.

Financiamento do imóvel: você sabe como avaliar cada detalhe?

Comprar uma nova casa, ou apartamento, envolve muito mais do que o anseio pelo que é seu. São muitas etapas, burocracias e detalhes que impactam até o seu objetivo. Nesse momento, não adianta agir sem pensar, ou avaliar com cautela, cada linha e minúcia.

Abaixo, separamos uma lista com direitos relevantes, que devem ser estudados para ser tomada a melhor decisão, garantindo a realização do seu sonho e com as melhores condições:

Escolha da instituição

Quase todas as instituições, possuem linha de financiamento de imóvel, com taxas próprias. Alguns incentivos, como os juros mais baixos e as condições especiais para os clientes.

Enquanto outras utilizam incentivos administrativos para oferecerem o financiamento imobiliário. Entretanto, casos, existe uma limitação de renda e valor de imóvel, para participar da modalidade. Então, tópico, é necessário avaliar juros e prazos, considerando as condições de pagamento e também o custo x benefício a médio e longo prazo.

Tipos de financiamento

Além da possibilidade de financiamento ao banco, existem também outras modalidades que podem ser aplicadas e que são muito comuns:

Utilização dos recursos do FGTS;

Recursos do SBPE - Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo;

Financiamento pela construtora.

Conheça cada um deles:

Utilização do FGTS

Os valores no FGTS - mesmo os que estão retidos, pelas normas existentes - podem ser usados ​​para financiar todo, ou uma parte do imóvel. Entretanto, só são elegíveis quem se adéquam a alguns requisitos, como renda familiar máximo e limites de valores do imóvel.

As taxas de juros são relativamente menores e as condições de entrada variam de acordo com a região e também variação dos valores definidos, com periodicidade.

Recursos do SBPE

Aqui se torna atrativo pelo fato de que não existe uma limitação de renda, entretanto, como taxas de juros se tornam um pouco maior do que como praticadas com a utilização do FGTS.

Mas existe outra vantagem: se o valor do imóvel comprado não exceder o que está delimitado nas regras do SBPE, pois as taxas não podem superar o marco de 12%.

Financiamento pela construtora

A vantagem é muito atraente no começo: a flexibilização da negociação de parcelas e juros é ilimitada. Além de que não existem impedimentos por limite de renda ou faixas específicas para cada. Mas, como diz o ditado "nem tudo que reluz é ouro".

Do primeiro momento, faz muito sentido e se torna um grande chamariz. Porém, ao olhar para os detalhes e linhas minuciosas, se percebe que financiar com as construtoras, colocam riscos gigantescos sobre os próprios compradores.

É só usar uma lógica simples: a construtora hipotecou o apartamento, ou casa, com uma instituição financeira. Eles servem como garantias sobre o dinheiro retirado. Caso a construtora venha a falir futuramente, sem sanar essa dívida, o seu imóvel pode ser retirado.

Etapas para financiar o imóvel próprio

O planejamento vai ser o seu maior aliado, para evitar grandes dores e estragar a magia de ter a sua casa. Estudando bem as opções, escolha o que é mais rentável para o seu bolso e também a longo prazo, com as melhores condições de pagamento e pagamentos.

Para conseguir o financiamento, é preciso primeiro iniciar o processo de solicitação de crédito. Para isso, existem diversos estágios e burocracias. Então, vamos entender como funciona cada uma delas?

Avaliação dos documentos dos compradores

As instituições financeiras solicitam documentos comprobatórios, para dar início ao processo de avaliação do crédito. Serão cutucados os seguintes:

Documentos de identidade, bem como suas cópias (RG e CPF);

Estado civil;

Comprovante de renda - Holerites, declaração do Imposto de renda, ou extrato de bancos;

Lembrando que, caso for um casal que irá comprar o imóvel e comprovar renda, todos a documentos acima deve ser levado por ambos. Isso é atrativo para unir a renda dos dois, facilitando a análise de crédito e liberação da mesma.

Para os casos de autônomos, é preciso comprovar a renda de outras formas: contrato de prestação de serviço; recibo de pagamentos recebidos, declaração de imposto de renda ou Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos (Decore);

É essa comprovação dos ganhos, que será avaliado como sua capacidade de honrar com as parcelas, já que as mesmas não podem ultrapassar 30% da renda bruta.

Depois, é avaliado também o seu score nos cadastros dos inadimplentes (Serasa, por exemplo) e outras ferramentas de análise cadastral.

Avaliação do imóvel

O banco realizará a análise da casa ou apartamento. Isso é feito através de um engenheiro ou arquiteto, para comprovar o seu valor real. Feito isso, o crédito é liberado e começa a parte da negociação e de venda do imóvel, entre o comprador e vendedor.

Com o contrato assinado, o documento é registrado em cartório e o vendedor recebe o crédito. A partir daí, só se prepara e muda para o novo e tão sonhado lar.

 E aí, o que achou do conteúdo? Conseguiu tirar dúvidas importantes sobre o tema e se sente mais seguro para realizar o financiamento do imóvel? Se você está na busca da sua casa dos sonhos, que tal acesse nosso site e conheça nossos imóveis. Te garantimos que você irá se encantar e escolher seu novo lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário