Tradutor / Translate

terça-feira, 27 de abril de 2021

6 dicas para dar entrada em um imóvel



 Está pensando em comprar um imóvel, mas tem dúvidas sobre como conseguir o valor de entrada? Confira estas 6 dicas para facilitar sua aquisição!

Comprar um imóvel à vista é algo cada vez mais difícil e raro. Mesmo pessoas com poder aquisitivo mais alto preferem o financiamento imobiliário e, assim, precisam de um valor para a entrada.

Porém, na busca por alternativas, muita gente acaba tendo dúvidas sobre como alcançar essa meta. Uma coisa é certa: o planejamento é fundamental, pois juntar dinheiro para dar entrada num imóvel requer uma boa dose de esforço e organização financeira.

Isso porque, quanto maior o valor da entrada, menor será a quantia financiada, o que resulta em menor tempo de parcelamento e menos juros. Ou seja, ao dar uma entrada mais robusta na hora da compra, sua renda mensal será comprometida por um tempo reduzido, assim como o valor final do imóvel.

Por isso, se você está em busca de um novo imóvel, mas ainda busca meios de conseguir o valor de entrada para obter um financiamento, confira as dicas que preparamos!

Qual o valor médio para dar entrada num imóvel?

Tudo depende muito da renda do comprador. Geralmente, as instituições bancárias solicitam um valor mínimo de 20% a 30% do imóvel. Quer dizer que se ele custar R$ 500 mil, a entrada pode variar de R$ 100 mil a R$ 150 mil, em média. 

Além disso, o restante do valor que será financiado deve ser dividido de modo que as parcelas não ultrapassem 30% do total da renda mensal do comprador (essa renda pode incluir os demais membros da família).

Vale lembrar que quanto maior o valor de entrada, melhores são as condições para o financiamento!

Como dar entrada em um imóvel? Confira essas 6 dicas!

Antes de comprar um imóvel, é essencial compreender que o planejamento financeiro é extremamente importante. Afinal, essa é uma decisão que envolve investimentos de longo prazo, e influencia a rotina de toda a família.

Por isso, listamos a seguir 6 dias para lhe ajudar nesta empreitada e conseguir o máximo possível para dar a entrada no seu tão sonhado imóvel! Confira:

Dica 1: Aprenda a economizar

Num primeiro momento, pensar em economizar pode parecer um grande sacrifício. Afinal, estabelecemos um padrão de vida e, ao modificar nossos costumes, sentimos que estamos abrindo mão de certos "prazeres merecidos". 

Contudo, viver com menos pode, inclusive, ser mais prazeroso, à medida que evitamos desperdícios e gastos sem necessidade. Nesse sentido, buscar alternativas para economizar no dia a dia é uma boa forma de direcionar seu dinheiro para um objetivo maior: a compra de um imóvel.

Então, vale aqui procurar desenvolver um pensamento crítico sobre seus gastos e estilo de vida. Ponderar o consumo e tentar identificar o que é realmente necessário do que é supérfluo, reduzindo a compra por impulso, fará um bem maior para você e sua família.

Dica 2: Busque uma renda extra

Entre as alternativas para juntar dinheiro mais rápido e dar entrada num imóvel é buscar algum tipo de renda extra. Hoje, com a internet, existem diversas alternativas de negócio que podem ser desenvolvidas no tempo livre. 

Para alguns profissionais com maior conhecimento e especialidade em determinada área, oferecer consultorias pode ser uma boa saída, assim como criar conteúdos e oferecer cursos online.

Enfim, pesquise, leia e veja se essa pode ser uma forma de alcançar seu objetivo. Talvez uma promoção no trabalho ou algumas horas extras durante a semana também possam ajudar a atingir o objetivo.

Dica 3: Procure comprar um imóvel na planta

Se essa for uma possibilidade viável para você e sua família, opte por comprar um imóvel na planta. Assim, é possível aproveitar boas oportunidades, com valores mais acessíveis.

Caso não haja pressa para a mudança, um imóvel na planta oferece alguns benefícios, como a entrada facilitada. É bem comum que construtoras e incorporadoras parcelem o valor de entrada até a entrega do imóvel. Em alguns casos, o prazo pode chegar a 36 meses, e somente a partir daí é que o restante do financiamento começa a ser pago.

Na Diego Lomba Imóveis, dois empreendimentos que podem ser adquiridos na planta merecem destaque: o Residencial Canavieiras e o Residencial Águas da Cachoeira.

Dica 4: Utilize seu imóvel antigo como entrada

Se você já possui um imóvel, ele pode ser utilizado para dar entrada na compra de um novo. O processo funciona como uma espécie de troca onde, no caso da aquisição de um imóvel novo mais caro, o comprador financia apenas o restante do valor.

Muitas incorporadoras aceitam imóveis como parte do pagamento e isso pode ajudar muito e acelerar o processo, já que não é preciso esperar para vender seu imóvel atual.

Dica 5: Faça um investimento em renda fixa

Ao colocar em prática as dicas de economia doméstica e renda extra, é hora de saber aplicar o dinheiro com inteligência. Nesse momento, buscar um fundo de investimentos em renda fixa pode ser uma excelente alternativa para potencializar os ganhos.

Algumas opções mais rentáveis são o Tesouro Direto, o CDB (Certificado de Depósito Bancário) e o LCI/LCA (Letras de Crédito Imobiliário/Agronegócio). Porém, algumas delas costumam ter prazo para saque, não sendo possível retirar o valor investido antes da data final.

A Poupança também é um tipo de investimento em renda fixa, mas que costuma ter rendimentos abaixo da inflação, o que não é tão vantajoso a curto e médio prazo. No entanto, algum valor pode ser destinado para a poupança como forma de criar uma reserva de emergência para quaisquer imprevistos.

Dica 6: Use o seu FGTS

Por fim, uma das maneiras mais acessíveis de conseguir dar entrada num imóvel é utilizar seu saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Contudo, isso só é possível se você possuir um período de trabalho em regime CLT, ou seja, com registro em Carteira de Trabalho. Esse tempo deve ser igual ou superior a três anos, consecutivos ou não.

Outros requisitos para utilizar o FGTS como entrada num imóvel são:

  • não ter outro imóvel em seu nome, especialmente no município onde reside ou trabalha;

  • não possui financiamentos em aberto pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação);

  • não ter utilizado o saldo do FGTS nos três últimos anos.

Caso você se enquadre nas exigências para usar o FGTS como entrada, basta procurar uma agência da Caixa Econômica Federal para dar andamento ao processo de financiamento do imóvel escolhido, ou mesmo para fazer uma simulação. Em alguns casos, a própria construtora ou imobiliária orienta e auxilia o comprador nessa etapa.

Agora que você já sabe por onde começar a planejar a entrada do seu novo imóvel, aproveite e leia também: Imóvel pronto ou na planta? Saiba qual a melhor opção!


Nenhum comentário:

Postar um comentário